Mostrando postagens com marcador monstro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador monstro. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Slender Man


O conto e adaptação do personagem Slender Man que vocês verão a seguir, foram cedidos por Henrique "Morcego" Santos, que também colabora com a Revista Combo. Muito obrigado Henrique!


“Aquela era a última vez que Brenda aceitaria um convite para assistir um filme à escolha de Nico. Ela sabia que ele iria selecionar um filme de horror e mesmo assim ela ignorou seu instinto apenas pela companhia do rapaz - estar com ele quase compensa passar por tanta tensão nestes filmes de fantasmas e maldições. Quase.
- E agora, Nico? Já está tarde e eu não tenho coragem nem de olhar pela janela, que dirá de ir pra casa nessa hora!
- Calma, calma, eu te acompanho até sua casa. Se minha mãe já tivesse chegado do turno dela, eu até pediria pra ela te levar de carro, mas são só quatro quarteirões, a gente chega rapidinho! Vamos aproveitar pra ir logo porque eu nem terminei a lição de Educação Artística pra amanhã!
Os dois jovens então passam pelo portão em direção à casa de Brenda, que tenta não olhar para nenhum lado, de tão tensa que ficou com o filme. Além disso, apenas agora começa a bater a preocupação sobre ter ignorado as ligações e mensagens de sua mãe perguntando que horas ela estaria em casa, tudo em prol de um tempinho a sós com Nico, e a recompensa foram duas horas de medo cinematográfico e um possível castigo dos pais por chegar depois das 22h. Ela sobe no quadro da bicicleta de Nico, que começa a pedalada.
Geralmente o verão é quente e com um lindo céu aberto revelando a lua e as estrelas, mas esta noite está estranhamente diferente: uma leve neblina está tomando conta das ruas do bairro residencial onde Nico e Brenda moram. O céu quase não está possível de se visulizar exceto pela forte luz da lua minguante, enquanto as frondosas copas das árvores espalhadas pelas calçadas se revelam entre a névoa. Brenda tenta apenas concentrar seu olhar para o rosto de Nico, que está mais preocupado com possíveis obstáculos que ele não veja no caminho. Por pouco ele não percebe a criança parada em seu caminho.
Sua tentativa de desviar da criança falha e os dois caem da bicicleta, felizmente sem feri-la. Porém, Brenda rala as mãos e os cotovelos enquanto caía.
- Meu Deus, Nico! Olha o que você fez! Tô toda ralada agora, droga!
- Eu desviei da menininha que tava na nossa frente, você não viu? Cadê essa menina agora?
Nico se levanta para buscar a bicicleta e tentar localizar a criança, que deve ter se perdido de algum adulto no meio da neblina. Então ele percebe que a criança está logo atrás de Brenda, com uma grande faca de cozinha na mão direita.
- Eita, sai daí, Brenda! A menina tá com uma faca atrás e você!
Com o susto, Brenda corre para Nico e escapa da estocada que a criança deu, buscando cravar a faca na adolescente. Ela fica atrás da bicicleta junto com Nico, observando a estranha criança.
- Ele quer... A faca e o sangue... Ele feliz... Qual sangue?
Nico começa a se aproximar lentamente da criança, mantendo sua bicicleta sempre mais à frente como escudo. Quando está próximo o suficiente, o jovem tenta retirar a faca das mãos da menina, mas a lâmina passa pela palma de sua mão, fazendo-o gritar de dor e susto, seguido de um grito de susto de Brenda e uma inocente risada da criança.
- Vamos embora, Nico! Deixa essa louca aí e me leva pra casa, por favor!
- Mas e se essa menina se cortar? Deixa eu tirar a faca dela!
- Cara, você não tá vendo que essa menina é uma psicopata ou tá com o capeta no corpo? Eu só quero ir embora! Vamos!!!
Em meio à discussão dos dois adolescentes, a criança grita ‘Mais sangue?’, interrompendo a discussão e degolando a si mesma, caindo inerte em frente aos dois, que gritam de pavor e correm em socorro à criança, mas já é tarde.O ar esfria de repente, e os dois conseguem enxergar uma pessoa ao longe, ereta e imóvel.
- Olha lá, vamos pedir ajuda pra aquele cara, Nico! - Brenda tenta conter as lágrimas e a tremedeira.
- Senhor, socorro! - Nico grita. - Essa menina se cortou sozinha, e está sangrando muito! O senhor sabe como parar o sangramento, vou ligar pra polícia!
Nico percebe que seu celular não liga, como se estivesse com a bateria zerada. Com o de Brenda ocorre o mesmo. Mas a figura do homem está mais próxima, e ele continua imóvel, e parece ser muito mais alto que uma pessoa normal.
- Brenda, você está ouvindo essa voz? Heheh, verdade, essa menina está engraçada sangrando vermelho no asfalto preto, hahah! - Nico parece estar alucinando, e passa a ignorar Brenda depois de observar atentamente a criança no cão.
- Seu besta, do que você tá falando? Que voz? - Brenda se volta para a figura que estava longe, e agora está a 30 centímetros dela, com aproximadamente três metros de altura e aquele rosto branco sem nenhum detalhe. Apenas um branco sem fim, hipnótico.
A figura oferece a mão direita para Brenda, que lentamente aceita segurar com sua mão esquerda, e vai caminhando com a estranha figura até sumir em meio à névoa. Nico continua rindo do cadáver até que a risada vai dando lugar a uma expressão mais séria até ele pavorosamente se dar conta de que estava em frente a um horroroso suicídio, e que a garota por quem ele sempre nutriu fortes sentimentos desde o primário até este final de nono ano acabara de desaparecer para sempre na névoa com um monstro sem rosto, um monstro esguio.”

terça-feira, 21 de maio de 2019

Star Wars - Acklay


ACKLAY


Os Acklays são criaturas nativas do planeta Vendaxa, mas que posteriormente também foram levados para Geonosis. São conhecidos por seus fortes gritos e se irritam facilmente. Seus ancestrais foram feitos para viver na água, mas, como tinham que sair para caçar, acabaram se adaptando à vida terrestre. Essas criaturas têm seis garras mortais e também são sensitivas à Força, o que é muito raro.

Acklays eram crustáceos anfíbios que possuía três olhos, nativos de Vendaxa não eram sencientes. Embora Acklays vivessem de baixo d'água, eles poderiam ir em terra para caçar, o que faziam com frequência, como os Lemnais, uma espécie que vivia nas planícies de Vendaxa, e sua principal fonte de alimento. Enquanto residiam nos oceanos do Vendaxa, seus olhos lhes permitiam ver na escuridão, embora tenham tido visão à curta distância.

Apesar de sua semelhante natureza de crustáceo, Acklays também tinham características de répteis, como as suas poderosas mandíbulas cheias de dentes afiados. Os Acklays tinham uma carapaça resistente, e sua pele variava da cor verde para marrom, outro traço de sua herança reptiliana. Sua barriga era mais vulnerável do que outraspartes do seu corpo, por não conter carapaça. Acklays tinham uma crista óssea ao redor de seu pescoço, usada tanto para intimidação tanto para proteção.

Essas criaturas tinham estômagos pequenos, mas eram capazes de expandi-los quando necessário. Eles tinham um metabolismo alto, que lhes dava quantidades altas de energia, mas também os fazia morrer de fome mais rapidamente. Acklays eram criaturas agressivas, tornando-as favoritos em combates de gladiadores.

Cada Acklay tinha seis garras mortais, utilizadas tanto para a fixação de um oponente em combate ou cortar. Seus membros eram longos, permitindo-lhes atacar inimigos à distância. Os pelos em seus corpos permitiam as criaturas a sensitividade à Força. Estes cílios permitiam que um Acklay sentisse a energia do corpo de outras criaturas. O exoesqueleto Acklay era forte o suficiente para ser usado por alguns povos, como armadura quitinosa pessoal. Após a tecnologia elevar-se foi ocasionalmente usada como um item de troféu.

Alguns Acklays poderiam ser muito sensitivos, embora isto era extremamente raro. Tais criaturas poderiam aprender a usar a Força e podiam disparar relâmpagos da Força com sua boca.

F6, H2, R4, A4, PdF0, 20 PVs, 20 PMs.

Vantagens: Ataque Múltiplo, Membros Extras x2, Sensitivo à Força.

Desvantagens:  Má Fama, Monstruoso.

Perícias: Natação e Sobrevivência.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Star Wars - Rancor


RANCOR

Resultado de imagem para Rancor png

Rancors são reptomamíferos de cinco a dez metros de altura que se originaram no planeta Dathomir. Mas também podiam ser encontrados em outros mundos como Ottetha, Corulag, Carida e Felucia, diziam que os de Dathomir eram mais fortes e mais inteligentes que os outros, por serem mais difíceis de domesticar. Eles haviam sido usados para muitas coisas, que vão desde montarias para as bruxas de Dathomir, até animais de estimação para senhores do crime, como Jabba o Hutt, a ser uma fonte de alimento, e como um meio de entretenimento.

Sabe-se que enquanto os rancores cuidavam de suas crias - nascidos usualmente como gêmeos - eles não amamentavam. O filhote andava na mãe, um nas costas e outro no estômago, até que chegassem à maturidade. Rancores andavam em pequenas pernas, mas em compensação, com braços anormalmente longos, para capturar as presas. O rosto achatado de um rancor por uma boca grande cheia de dentes afiados. A pele de um rancor era dura o suficiente para refletir tiros de blaster, fazendo-o uma eficiente máquina de matar; e uma fonte excelente de roupas e botas de couro caras. Jabba o Hutt mantinha um como animal de estimação em uma cova embaixo de seu pátio do palácio, derrubando os que o irritavam para o alimentar.

Apesar dos rancores serem geralmente considerados criaturas não inteligentes, os rancores de Dathomir pareciam ser conscientes, e seres que ligavam para membros da família que haviam morrido. Estes rancores eram usados como montarias pelas Bruxas de Dathomir, e com a ajuda das Bruxas até se equiparam com armaduras e armas primitivas.
Rancores tiveram uma relação simbiótica com pássaros gibbit, uma espécie de aves que limpam seus dentes, uma ação que para as aves era uma forma de alimentos e para os rancores era uma forma de "higiene dental".

Em casos raros, alguns rancores foram sensíveis o suficiente para ser capaz de ler e escrever, como Tosh, o rebanho-mãe de sua família de rancores pertencentes ao clã Montanha Cantante em Dathomir. Toshiria tenta ensinar habilidades difíceis para outros rancores inteligentes.

Rancor, 18N.

F7, H1, R7, A3, PdF0, 35 PVs, 35 PMs.

Vantagens: Ataque Especial (Poderoso), Sentidos Especiais (Faro Aguçado).

Desvantagens: Fúria, Modelo Especial, Monstruoso, Má Fama.

Perícia: Sobrevivência.

Rancor Tirano


São uma rara variedade de rancor, apenas encontrados em poucos mundos através da galáxia, o rancor tirano é muito maior e mais forte que os demais de sua espécie. A grande maioria dos exemplares dessa espécie vive em planetas abundantes em alimento; xenobiologistas especulam que eles são descendentes de rancors comuns que foram realocados de outros planetas, para ecossistemas onde não haviam outros predadores capazes de fazer frente a essas feras, permitindo-os que depredassem e se alimentassem de todos os animais do habitat no qual foram inseridos, crescendo até tamanhos inimagináveis. Seu comportamento difere muito pouco do rancor comum, mas são mais agressivos e resistentes, fazendo deles adversários terríveis em qualquer ambiente.

Rancor Tirano, 27S

F9, H1, R9, A6, PdF2; 45 PVs, 45 PMs.

Vantagens: Ataque Especial (Poderoso), Sentidos Especiais (Faro Aguçado).

Desvantagens: Fúria, Modelo Especial, Monstruoso, Má Fama.

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

A Passagem da Morte Gélida

A passagem da morte gélida, como eu nomeie esse encontro que visa propor um desafio para um grupo de até 6 personagens feitos com 7 pontos. O encontro é desenvolvido a se tornar um desafio até mesmo para grupos mais experientes, por isso o mestre deve ter em mente que pode ocorrer uma Total Party Kill. Se você usar esse encontro em uma de suas sessões, não deixe de comentar aqui como foi o combate.



A Passagem da Morte Gélida.



Local: Um passagem entre as montanhas de uma região gélida.

Monstros: Trolls do Gelo (Glacioll) e um dragão branco filhote ou jovem. Em grupos inexperientes ou com poucos jogadores e recursos eu recomendo substituir o dragão branco jovem por um dragão branco filhote (Manual dos Monstros Tormenta Alpha, página 86).


Ideia simples de um encontro que pode ir evoluindo e se tornar um verdadeiro desafio para grupos que não disponham de uma estratégia sólida para lidar com inimigos com capacidade de se regenerar ou capaz de voar. O encontro pode começar com 2 trolls para cada personagem jogador. Os trolls esperam surpreender os personagens jogadores e paralisar o maior número de personagens, que em seguida serão atingidos em cheio pela baforada do dragão branco. A baforada vai acertar indiscriminadamente os trolls e os PJ's. Os trolls devido sua habilidade de absorção glacial, são curados pela baforada, o mesmo não pode ser dito dos personagens dos jogadores.

O dragão evitaram ao máximo descer e se envolver no combate corporal, exceto contra adversários indefesos ou paralisados, utilizando sua baforada sempre que perceber uma oportunidade de atingir oponentes paralisados pelo machado dos trolls e também para curá-los quando a batalha estiver indo contra seus lacaios. o dragão vai guardar sua habilidade Martírio do gelo(veja abaixo) para usar contra o adversário mais forte ou contra qualquer adversário que demonstre ter habilidades que possam causar dano a distância. Uma vez que o adversário tenha falhado em seu teste de Resistência e fique paralisado o dragão vai concentrar nele o seus ataques ou ordenará que alguns trolls o eliminem rapidamente.

Glacioll, 7N

F1 (frio), H1, R2, A1, PdF0; 20 PVs, 10 PMs; Arena (ermos), Invisibilidade, Pontos de
Vida Extras e Machado de Gelo Eterno (veja adiante); Inculto, Modelo Especial, Monstruoso e Vulnerabilidade (fogo).

Absorção Glacial. Quando é atacado por frio, o glacioll ganha os PVs que deveria perder, ficando maior: para cada 5 PVs extras, ele recebe +1 em Força, Resistência (não recebe mais PVs ou PMs) e Armadura até o fim do combate.

Táticas
O glacioll aproveita sua coloração para usar Invisibilidade na neve e surpreender o oponente, procurando congelá-lo com o machado de gelo eterno. Gasta os demais PMs com a versão gratuita de Ataque Especial. Foge se ficar Perto da Morte, a não ser que o efeito de Absorção Glacial tenha sido ativado — nesse caso, luta até o fim do combate.

Tesouro
✩ Machado de Gelo Eterno (20 PEs): esse machado é esculpido em um processo ainda desconhecido. Oferece F+1, personaliza o dano para frio e sempre que causar dano, obriga o alvo a passar em um teste de R+1 para não ser paralisado, tornando-se indefeso por um turno.

Dragão Branco Jovem, 22N

F2 (corte), H2, R3, A3, PdF4 (frio); 15 PVs, 15 PMs; Dragão (Baforada, Forma Avatar); Código de Honra (Código de Honra da derrota)

Martírio de Gelo. Uma vez por combate, o dragão branco pode fazer um ataque de PdF+1d que ignora totalmente a Armadura do alvo. A vítima deve imediatamente fazer um teste de R. Se falhar, ficará paralisada, tornando-se indefesa por um turno.

Anatomia Dracônica. Dragões recebem as vantagens Sentidos Especiais (todos), Telepatia e Voo, além das desvantagens Modelo Especial e Monstruoso. Quando desejam, são capazes de causar os mesmos efeitos da magia Pânico de forma natural, sem gastar PMs. Além do ataque normal, um dragão pode realizar vários golpes imprecisos num mesmo turno: dois ataques com garras (FA=F+1d), um com a cauda (FA= H+1d) e um com mordida (FA= F+2+1d).

Invulnerabilidades. Dragões são imunes à passagem do tempo (eles nunca morrem por velhice) e são Invulneráveis ao elemento protetor: Dragões vermelhos a dano por Fogo, azuis a Elétrico ou Sônico (escolha um ao adquirir a vantagem), brancos ao Frio, marinhos, negros e verdes a Químico. A partir da escala Kiodai, também passam a considerar Armadura Extra contra danos Físicos.

Baforada. Dragões possuem uma baforada: um sopro corrosivo baseado em um dos tipos de dano por Energia (Manual 3D&T Alpha, pág. 74) igual à sua invulnerabilidade e que conta como um Tiro Múltiplo que diminui as proteções do alvo em um nível (Invulnerabilidade se torna Armadura Extra, essa por sua vez torna-se normal e personagens sem proteção especial tem sua A anulada).

Forma Avatar. Em sua forma verdadeira, dragões tem uma série de limitações devido ao próprio tamanho. Assim, por motivos práticos, assumem uma forma humanoide, quase sempre com aparência élfica. Esta forma mantém todos poderes da forma original — exceto Baforada, a aura de Pânico e as desvantagens e
ataques extras de Anatomia Dracônica.




sexta-feira, 20 de outubro de 2017

SEXTA-FEIRA DO TERROR - PARTE 3

VILAREJO SOBRENATURAL

Os jogadores chegam a um vilarejo isolado de outros vilarejos e cidades, e parece estar isolado de qualquer coisa, já que celulares e telefones não funcionam ali. Existem rumores se esse vilarejo realmente existe, ou é apenas um boato (você jogador de rpg, sabe que ele realmente existe e que se o mestre quiser, você vai parar nele hora ou outra). Bem na entrada do vilarejo existe uma placa de madeira onde se lê “As leis dos homens não se aplicam aqui”, o que se torna nítido na forma como o povo tem levado suas vidas por esses lados. Coisas como canibalismo e assassinato se tornaram coisas comuns e não há ninguém a quem se possa recorrer para pedir socorro.

A Roupa de Mergulho


Enquanto exploram uma antiga base militar, os jogadores devem ir até o subsolo do local, que está alagado e ligar uma bomba para drena a água, de modo que eles possam acessar algo no subsolo. Enquanto estão ali, chapinhando na água, eles veem uma antiga roupa de mergulho flutuando na água, flutuando em direção a eles. Ao examinarem mais de perto, ela afunda na água, como se puxada por uma correnteza, se enroscando um pouco nas pernas do personagem mais próximo, antes e desaparecer na água turva. Depois de religarem a bomba para drenar a água, eles encontram uma figura alta e muito magra espreitando das sombras... a luz das lanternas ela se revela sendo a roupa de mergulho, andando vagarosamente na direção de vocês, animada por alguma força sobrenatural. Ataques cortantes ou perfurantes podem pôr um fim a ela, fazendo com a água dentro dela vazar, mas não há nada lá dentro. É possível colocar várias dessas roupas e até mesmo um daqueles escafandros antigos (esse mais resistente a tiros e cortes).

Roupa de Mergulho Assombrada
F2 (contusão), H1, R1, A1, PdF1 (perfuração); 5 PVs, 5 PMs; Armadura Extra: (Contusão); Vulnerabilidade ( Corte e Perfuração) , Devoção ( Afogar os intrusos), Maldição ( Sempre perdem a iniciativa).


A Profecia da Palavra-Cruzada

 O jornal da cidade possui um jogo de palavras cruzadas que estranhamente parece ser capaz de prever o futuro e todos são obcecados com isso. Em algum momento eles encontram com um homem que pergunta “O que tem 7 letras e é sinônimo de Massacre? Começa com a letra C.” Mais tarde no dia, um homem invade uma loja e abre fogo contra dezenas de pessoas. Chacina.


O Jogo das Sombras

Um dos jogadores percebem que sua sombra, ou a sombra de outro alguém está ligeiramente errada (ângulo errado, forma errada, ou qualquer coisa assim).  Tão logo ele tente chamar a atenção de outra pessoa para um desses detalhes, ela imediatamente volta a forma correta que deveria ter e ao falar sobre isso com outra pessoa, a pessoa vai achar que ele está ficando louco.  Estranhamente, várias outras sombras começam a se parecer estranhas para o jogador. O que está acontecendo aqui?

Demônio das Sombras
F2 (frio), H3, R2, A1, PdF2 (frio); 10 PVs, 10 PMs; Fantasma; Xamã; Devoção(abrir um portal para o Plano das Sombras).



Até que a morte os separe (Ou não)

 Os personagens trabalham para a polícia ou tem algum tipo de profissão que pode se envolver em situações perigosas, como bombeiros e são chamados para atender uma ocorrência: um homem e sua esposa estão sendo feitos reféns pela sua primeira esposa, o que já seria um problema e tanto para se resolver, mas uma coisa torna tudo pior: ela está morta a anos e agora voltou do tumulo, exigindo que o seu ex-marido anule seu casamento com a atual mulher. Ou ela vai fazer jus a frase até que a morte os separe.

Fantasma da Esposa

F0, H2, R2, A1, PdF0; 10 PVs, 40 PMs; Magia Negra, Pontos de Magia Extras x3, Voo e Xamã; |Devoção (permanecer junto do seu marido ), Maldição (à luz do dia, sofre redutor de –1 em todas as características e precisa gastar duas vezes mais PMs para usar magias e vantagens) e Monstruoso.

Magias: 10 PEs em magias de dominação.


O Artesão das bonecas

 Um homem muito velho, morando sozinho numa casa afastada na cidade, passava seu tempo fazendo todo tipo de bonecos e bonecas. Bonecos ventríloquos, brinquedos para crianças e etc. Um dia ele é encontrado morto, seus olhos arrancados das orbitas e botões colocados no lugar. Ele está usando roupas costuradas para se parecer com um de seus bonecos, e seu rosto também foi pintado de forma semelhante. Não há nenhum suspeito, pelo menos não nenhum suspeito para a polícia local, mas para investigadores do oculto, os suspeitos podem ser um dos seus bonecos. Se os personagens jogadores investigarem a cena do crime, talvez eles encontrem uma boneca bondosa, que deseja contratar os jogadores para encontrar qual das bonecas foi responsável pela morte do artesão.

Boneco Assassino
F2 (corte), H1, R2, A3, PdF0; 10 PVs, 10 PMs; Golem; Ataque Especial (força), Armadura Extra (corte, esmagamento e perfuração); Inculto, Insano (homicida), e Modelo Especial.





quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Mega City contra o Ragnarok.

Agora que o carnaval já acabou, que tal uma ideia para uma aventura ou mesmo uma campanha curta ?

Sinopse:Os personagens acordam em uma manhã de primavera e se surpreendem ao encontrar as janelas do quarto-general cobertas por uma espessa camada de geada. O vento sopra freneticamente e a neve cai sem cessar. Essa não é uma tempestade normal. O que se confirma quando os personagens são visitados por ninguém menos que Odin, Thor, Loki e Heimdall. Por algum motivo inexplicável, eles acreditam que os jogadores são heróis lendários destinados a combater o Ragnarok.

" Fimbulwinter está aqui e o Ragnarok se aproxima e a vocês nobres lordes, cabe a honra e a glória de enfrentar os monstros de Hel e Jotunheim em um combate mortal. Os irmãos lobo Skoll e Hati, que tencionam despedaçar o sol e a lua trazendo escuridão a Midgard; Fenrir, pai de Skoll e Hati, cuja as mandíbulas poderiam engolir o próprio firmamento, Jormungand, a serpente de Midgard; Surtur e todos os seres flamejantes de Musphelhein. Gostaríamos de ir com vocês , mas (você mestre insira aqui a justificativa que mais se encaixa na sua aventura/campanha) ..."

Depois de ouvir essa rápida explicação, os jogadores recebem alguns artefatos do panteão nórdico para ajudá-los na batalha que se seguirá. Eles recebem Gungnir, a lança de Odin; Gjallarhorn e Hoffund , pertencentes a Heimdall; Mjölnir, o martelo de Thor; e obviamente a bolsa dos truques de Loki.

Os personagens podem levar seus próprios equipamentos e armas, mas cabe ao mestre decidir se eles funcionaram contras as criaturas místicas.

Pontuação: De quatro a seis personagens campeões (10 Pontos). Apesar da pontuação parecer baixa comparada as características do NPC's que aparecem abaixo, os aventureiros recebem itens mágicos poderosos e também podem recebe auxílio indireto de outros seres da mitologia nórdica, como as valquírias.

Desenvolvimento: Os monstros podem vi aparecendo um após o outro,em diversos pontos pela cidade, surgidos como que do nada. Ou pode haver um intervalo entre um e outro, com sinais prenunciando o surgimento de um novo monstro e dando mais tempo para que os jogadores se preparem para o combate que pode ou não acontecer se os jogadores encontrarem uma forma do monstro se manifestar em Mega City.  Essa é uma aventura que pode se transformar em uma campanha com Surtur como o Vilão Final da campanha, seguindo o modelo de campanha que aparece na pagina 1d+135 do Manual 3D&T Alpha.

As Forças do Ragnarok.

Jötunn

Também chamados de Jotun (no plural jötnar),são massivos humanoides de andar desajeitado, demonstram agilidade e habilidade sobre-humana no combate. Um jotun adulto tem em média 3 metros de altura e pesa 1,5 tonelada. A pele azulada desses gigantes é sólida e resistente como uma geleira. Em sua cultura, os homens cultivam longas barbas e cabelos compridos, trançados e ornamentados com enfeites produzidos a partir de um gelo que nunca derrete.
A sociedade Jötunn preza o combate, e mesmo os mais novos entre eles se mostram adversários terríveis, aliando força bruta, ferocidade e inteligência. Mesmo desarmado, um Jöttun é um adversário que não deve ser subestimado, já que pode esmagar inimigos com as mãos nuas. Quando armados, eles usam armas feitas do mesmo gelo de seus enfeites ou armas de metal de excelente qualidade. Espadas de duas mãos e machados estão entre suas armas favoritas.

Guerreiro: F3-5, H2, R4, A3, PdF0-2.

Berserker: F6-8, H2, R6, A1-2, PdF0.

Fúria: quando sofre dano ou fica irritado, um jotunn berserker entra em fúria. Neste estado recebe H+1, FA final +1 e não sente medo, sendo imune à magia Pânico e similares. No entanto, não pode se esquivar nem usar seu Ataque Múltiplo, mesmo que ainda tenha PMs.

Sköll e Hati


Hati e Skoll, os filhos de Fenrir, são os únicos que vieram em defesa de seu pai quando ele foi preso. Para impedir que eles libertassem-no, Odin colocou um encantamento sobre ambos, prendendo-os no em eterna perseguição a outros dois deuses celestes. Hati persegue o deus Mani, que representa a lua enquanto Sköll persegue a deusa Sigel, que representa o sol. Se forem bem sucedidos em  devorar os dois deuses acontecerá um eclipse e Fenrir se libertará dando inicio ao Ragnarok.

SKöll: F5, H9, R7, A4, PdF0, 35 PVs e 35 PMs.

Aliado (Hati); Armadura Extra (fogo); Parceiro; Sentidos Especiais ( Audição e Faro Aguçado); Má fama; Obsessão (libertar Fenrir).

Hati: F5, H8, R5, A6, PdF0, 25 PVs e 25 PMs.

Aliado (Sköll); Ataque Especial (Força), Armadura Extra (frio); Parceiro; Sentidos Especiais ( Audição e Faro Aguçado)Má fama; Obsessão (libertar Fenrir).


Fenrir


O filho de Loki com uma gigante dos Jotuns, nasceu com a monstruosa forma de um lobo, de tamanho gigantesco, só comparado a sua fome e seu poder horripilante de tudo devorar. Para não falar em sua porção de divindade. Na mitologia nórdica, é contada a história de que os deuses optaram por prende-lo com uma corrente mágica, já que ele não parava de crescer e se tornava mais perigoso a cada dia. O deuses foram bem sucedidos nessa tarefa, mas nem se que o deus Tyr perdesse uma mão no processo.
Fisicamente, ele se assemelha a um lobo de tamanho colossal, com uma bocarra com incontáveis dentes manchados, uma pelagem da cor de crostas de sangue seco e olhos que expressam a loucura e fome insaciável.
Fenrir já foi mais inteligente do que é atualmente, mas eras aprisionados, deixaram-no totalmente insano. Agora existe apenas uma fagulha da sua astúcia, enterrada sobre violência irracional e comportamento destrutivo.


F20, H2, R20, A10, PdF0, 100 PVs, 100 PMs.

Inculto; Insano: Homicida; Monstruoso; Obsessão.

Engolir: Quando acerta a mordida ele pode tentar engolir a vítima; nesse caso ele prende o alvo e este deve obter sucesso em um teste resistido de Força contra F20 para livrar-se. Caso não consiga, será engolida. Uma vítima engolida sofre 2d+8 de dano por esmagamento e 2d+4 de dano por ácidos digestivos. Para livrar-se deve causar 20 pontos de dano ao sistema digestivo do monstro com armas pequenas (equivalentes a F1 com FA= 1+H+1d). Após a vítima sair as contrações musculares fecham a abertura, e esse dano não é descontada de seus PVs.

Sangue bestial: Fenir é capaz de utilizar a magia Megalon em si mesmo, mesmo que não possua nenhuma vantagem mágica, pelo custo normal em PMs.

Jormungand


O segundo filho de Loki com a gigante Angbroda. De acordo com as lendas, Odin raptou os filhos monstruoso de Loki, para que eles não causassem problema. Jormunganrd foi jogada aos oceanos e desde então cresceu tanto, que consegue circundar a própria terra e morder a própria cauda. O destino de Jormungand está atrelado ao de Thor: está profetizado que durante o Ragnarok, Thor destruirá a serpente de Midgard, mas morrerá devido aos ferimentos e o veneno.

F12, H10, R9, A9, PdF10, 45 PVs, 45 PMs.


Anfíbia, Ataque Especial I e II (PdF, Preciso), Armadura Extra (Químico)Inculta; Monstruosa; Modelo Especial.

Ataque Corrosivo: Jormungand expele um ácido poderoso, que derrete as armas e armaduras do alvo (reduzindo sua Força, Armadura ou Poder de Fogo em –1). Uma esquiva pode evitar esse ataque. Restaurar um ponto perdido desta forma exige 12 horas e um teste de Máquinas.


Surtur


O senhor de Muspelheim e o mais temível dos jotuns de fogo que ali vivem, Surtur é a encarnação do fogo primordial. Tão antigo como Ymir é visto como o maior inimigo de Odin e toda Asgard. Durante o Ragnarok, ele reforjará a sua espada - uma espada mágica de proporções gigantescas - e enviará suas legiões de demônios do fogo pelos nove mundos, espalhando fogo e destruição. 
Em sua manifestação física, Surtur aparece com um imenso ser humanoide de mais de 300 metros,  envolto em trevas e chamas, queimando com a fúria de mil sóis. Seu pode só pode ser comparado ao poder do próprio Odin.

F8, H5, R10, A5, PdF7, 50 PVs, 80 PMs.

Arcano; Área de Batalha; Arena (terreno vulcânico); Armadura Extra: Força; Ataque Especial II (Pdf: Amplo, Teleguiado); Ataque Especial I (Pdf: Paralisante); Ataque Especial III (Força: Penetrante, Perigoso, Poderoso); Demônio; Invulnerabilidade: a tudo, exceto magia e armas mágicas; Pontos de Magia Extras x3; Teleporte; Toque de Energia; VooDevoção ( a destruição de Asgard e o fim dos deuses); Má Fama; Monstruoso.

Os Artefatos Nórdicos.

Gjallarhorn

O poderoso chifre de Heimdall; é a trompa da batalha que o deus-vigilante usa para avisar os demais deuses de Asgard. Seu sopro pode ser ouvido em todos os Nove Mundos, prenunciando os eventos do Ragnarok. Quando soprada no começo de qualquer batalha, concede um bônus de +2 em Força, Resistência e Armadura para os aliados do usuário, o bônus dura até o fim da batalha. Esse poder pode ser usado até 3 vezes por dia. O usuário também se torna imune a efeitos de Pânico e Paralisia.

Bônus Mágico: veja na descrição.

Corajosa : Seu portador jamais sente medo, natural ou mágico, e é imune aos efeitos da magia Pânico ou similares.

Gungnir

A lança de Odin, deus da guerra e sabedoria no panteão nórdico. Dizem que a sua lança jamais erra o alvo quando arremessada e pode destruir até mesmo criaturas ditas imortais. Gungnir, também é a lança com a qual Odin perfurou o próprio corpo e depois suspendeu-se na Árvore Mundo Yggdrasil por nove dias para obter o conhecimento das runas. Seus poderes envolvem desde o controle do clima, a capacidade de sempre acerta um alvo, independente da distância do alvo e os juramentos feitos sob ele jamais podem ser quebrados. Cabe ao mestre definir outros poderes para lança, já que alguns são conhecidos apenas pelo próprio Odin.

• Arcana: A lança permite ao usuário lançar magias da escola elemental ar e água, pelo custo normal em PMs. Use essa capacidade para simular o controle do clima.

• Bônus Mágico: Arma +5.

Certeira: Ela nunca erra o alvo. Oponentes bem-sucedidos em um teste de esquiva recebem um bônus de +2 na FD.

• Violenta: Sempre que conseguir um acerto crítico, a Força do portador é multiplicada x3. No caso de estar usando alguma outra manobra que multiplique a Força, o multiplicador vai para x4.

Hoffund

A espada do guardião Heimdall, foi criada pelos anões de Nidavellir e encantada por Odin, com diversos poderes para que Heimdal pudesse ser bem sucedido na tarefa de guardar a ponte Bifrost dos constantes ataques dos gigantes Jotuns e as outras forças maléficas que ansiavam pela destruição de Asgard. 

Afiada: Uma arma Afiada tem maiores chances de obter um acerto crítico. Em regras, sempre que você obtêm um resultado 5 ou 6 no lance de 1d6 para determinar sua FA quando utiliza esta arma, terá conseguido um acerto crítico. 

Protetora: Força de Defesa +2. 


Veloz: esta arma oferece H+2 apenas para testes de Iniciativa.


• Vorpal: caso você consiga um acerto crítico, a vítima deve fazer imediatamente um teste de Armadura: se falhar, será decapitada. Se tiver sucesso, apenas sofre dano crítico normal. Construtos, mortos-vivos (exceto vampiros) e criaturas com várias cabeças (como hidras) não morrem devido à perda da cabeça; em vez disso, sofrem dano normal.

Mjölnir

O maravilhoso martelo mágico empunhado pelo deus do trovão é um dos artefatos mais poderosos do panteão nórdico de deuses.
Esse martelo foi forjado com o metal Uru, proveniente das montanhas de Asgard, e forjado pelos melhores ferreiros anões, a pedido de Odin como presente a seu filho.
Mjölnir ( traduzido literalmente como "aquele que esmaga) é um martelo de guerra que pode ser utilizado com autorização do deus das tempestades. Um vez a cada dez rodadas ( uma vez a cada duas rodadas nas mãos de Thor) o usuário do martelo pode descarregar raios vindos do céu. Os raios causam 10d de pontos de dano em uma área de 5m de raio, escolhida pelo personagem.
Pode ser arremessada até 50m de distância, e sempre retornará às mãos daquele que o arremessou. Em alguns casos, pode ser arremessado enquanto o aventureiro segura firmemente nas fitas, e possibilita ao personagem voar pequenas distâncias.  Além disso, o martelo de Asgard concede +5 ao cálculo da FA, e causa dano dobrado em Jotunn (gigantes) e dragões. Somente alguém digno e honrado pode empunhar Mjölnir.

• Ataque Especial: veja a descrição.

• Bônus Mágico: Arma +5.

Flagelo: Em gigantes Jotunns e dragões, o dano que ultrapassar a FD é dobrada.

Voadora: a armadura permite ao usuário voar, como se tivesse a vantagem Voo.

A Bolsa de truques de Loki.

Loki o deus do fogo, da trapaça e travessura, também decide ajudar os personagens na aventura, fornecendo a eles a sua bolsa de truques. O que a primeira vista parece ser uma simples bolsa de couro, com uma alça contendo algumas inscrições rúnicas, nada fantástico. Já dentro dela, os jogadores encontram diversos itens: anéis, cordas, pergaminhos. A bolsa parece contem dentro de si mais artefatos do que poderia comportar se fosse uma bolsa normal, se comportando como uma Bolsa do Espaço Infinito e tendo dentro de si, praticamente qualquer item, artefato, objeto e até mesmo criatura que o portador precise. Se ele vai conseguir exatamente o que ele deseja, somente Loki sabe.
Para o mestre: Esse item, pode servir mais como um recurso narrativo do que qualquer outra coisa no decorrer da aventura, já que ele pode ser um verdadeiro Deus Ex Machina, com um jogador tirando de dentro dela exatamente um artefato que precise naquele momento. Se usada adequadamente, é o item que pode render os momentos mais engraçados ou mais galhofas, ao melhor do estilo do chapéu do Presto.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Novo Velho Monstro - Peryton D&D e 3D&T.

Bem acima das montanhas e colinas rochosas, voa um monstro de visão aguçada conhecido como Peryton. Inteligente, paciente e malévolo, ele observa enquanto espera sua presa- e tenciona arrancar seu coração.

Um peryton lembra uma águia gigante, exceto por sua cabeça semelhante a um cervo, seus chifres brilham como ébano ou obsidiana, seus olhos são de um vermelho alaranjado brilhante. As penas de um macho são azuladas enquanto as da fêmea são pardas. Perytons normalmente projetam a sombra de um humano adulto, ao invés da sua própria sombra.
Peryton não se enfeitam com jóias e não usam armas. Sua linguagem é uma coleção de rugidos e gritos, frequentemente soa como se o peryton estivesse ferido ou raivoso. Criaturas com um olfato apurado, dizem que um peryton tem o mesmo cheiro de um ser humano, enquanto outros são preenchidos por um medo irracional ao primeiro sinal de sua presença.

Combate: Um peryton tem apenas uma segunda intenção em uma presa como comida. Seu principal interesse em seres humanos e criaturas humanoides é o coração de suas presas. Sendo anormalmente precisos em combate. Em termos de regras recebe um bônus de +2 em suas jogadas de ataque.
Seu ataque é feito com os chifres, já que as garras são muito fracas para o combate corporal. Quando um peryton escolhe um alvo para o combate, ele se engaja em um duelo que inevitavelmente acaba com a morte do alvo ou a sua própria. Um peryton jamais troca de adversário durante a luta, não importa a situação tática. Em situações raras, a criatura pode ser afugentada, mas vai continuar a perseguir sua presa e retornará mais tarde. Peryton são imunes a todas as armas, exceto aquelas com encantamento +1.

Alguns Perytons preferem arrebatar suas presas. Nessa forma de ataque, o peryton se eleva alguns metros no ar e então mergulha na direção do alvo com uma velocidade impressionante. Esse ataque é feito com um bônus adicional de +2 em sua jogada de ataque. Se o ataque acertar, o Peryton causa dano dobrado. Essa é uma manobra extrema que o peryton só vai tentar se o combate estiver indo mal, ou ele acreditar que pode conseguir surpreender suas presas.
Outra tática comum dos perytons contra criaturas de tamanho humano é arrebatar a presa com suas garras e subir voando rapidamente. O peryton sob tão rapidamente que a maioria das criaturas não consegue reagir antes que ele tenha atingido 30 metros de altura do chão e encarem 10d6 de dano na queda caso tentem escapar das garras do monstro.

Habitat/Sociedade: Perytons alojam-se em cavernas nos picos das montanhas e penhascos. Instalam-se em ninhos de 2d4 criaturas, cada ninho sendo independente um do outro, e dois ninhos estando distantes um do outros milhas de distância, exceto em situações especiais – como uma comunidade anã nas montanhas provendo ambos com uma quantia abundantes de presas.

Algumas vezes, um peryton mantém humanos e humanoides vivos em seus ninhos, até que sintam necessidade de se alimentar (90% probabilidade para não humanos, 25% para humanos) ou para reprodução (veja abaixo). Devido a isso, um ninho de perytons pode ter tesouros espalhados, como também 1d4 ovos não chocados.

Ecologia: O peryton é um predador sem inimigos naturais (poucos podem atravessar sua pele magicamente resistente). Humanoides, e especialmente humanos são sua presa favorita. Uma fêmea peryton precisa de um coração ainda fresco e pulsante para reproduzir, e corações humanos são seus favoritos. Uma vez que um peryton coma um coração, sua sombra muda para a sua forma real e a criatura no caso de uma fêmea fica fértil por 3d6 horas. Ovos não chocados de perytons podem ser vendidos por 10d12 P.O


Clima/terreno: Qualquer/Montanha
Frequência: raro
Organização: ninho
Ciclo de atividade: diurno
Dieta: Omnívoro
Inteligência: Média (10)
Tesouro: B
Alinhamento: Caótico e Mau
Quantidade encontro: 2-8
Classe de Armadura: 7
Movimento: 12, Voando 21 (C)
Dados de Vida: 4
THAC0: 17
Nº de Ataques: 1
Dano / Ataque: 4-16
Ataque Especial: +2 na rolagem de ataque
Defesa Especial: +1, ou melhor, para acertar.
Resistência Mágica: nenhuma
Tamanho: M
Moral: Campeão (16)
Valor de XP: 270



3D&T: F2, H2, R3, A0, PdF0

Ataque Especial: um peryton pode gastar 2 Pontos de Magia e mergulhar contra o alvo, com FA= F+H+1d+2

Invulnerabilidade: um peryton é invulnerável a todo tipo de dano, exceto magia e armas mágicas.

Voo: voando, peryton  têm velocidade normal de 20km/h e velocidade máxima de 20m/s.
Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF